9 de abril de 2017

Homenagens marcam Dia do Jornalista

O jornalista Domingos Meirelles falou sobre as relações entre a mídia e o poder com o enfoque na censura sobre a imprensa e o poder judiciário

Foto: Romildo de Jesus
Paulo Alencar, Domingos Meirelles, Walter Pinheiro e André Curvello participaram do evento
O Dia do Jornalista na capital baiana foi de muitas celebrações na sede da Associação Baiana de Imprensa (ABI), localizada no Centro Histórico de Salvador.

Homenagens a importantes personalidades da crônica esportiva como Jorge San Martin, Dito Lopes e Djalma Costa Lino, além da uma palestra do renomado jornalista Domingos Meirelles – que falou sobre as relações entre a mídia e o poder com o enfoque na censura sobre a imprensa e o poder judiciário –, foram a tônica do último sete de abril.

Participaram do encontro os secretários estadual e municipal de comunicação, André Curvello e Paulo Alencar, respectivamente, a presidente do Sindicato dos Jornalistas do Estado da Bahia (Sinjorba), Marjorie Moura, o presidente da Associação Baiana dos Cronistas Desportivos (ABCD), Márcio Martins, o deputado federal, Robinson Almeida e o presidente a ABI e da Tribuna da Bahia, Walter Pinheiro, além de outras personalidades.

“A ABI se incorpora a uma série de homenagens que estão acontecendo pelo transcurso do Dia do Jornalista e o faz com muita satisfação e orgulho. Acho que o dia 7 de abril de 2017 está sendo comemorado como sempre deveria ser, já que em anos anteriores a data passou despercebida. As homenagens e a palestra são uma amostra daquele carinho, daquele reconhecimento e da atenção que temos e que todos devem ter aos jornalistas e profissionais da comunicação de um modo geral, em razão do destemor o qual se lançam a contribuir com esse novo Brasil que se deseja”, disse Walter Pinheiro.

Antes da palestra, cerca de 50 profissionais que fizeram ou fazem parte da crônica esportiva baiana foram homenageados e receberam uma placa. Um deles foi o jornalista Antônio Pastori. Ele falou sobre o atual momento vivido pela imprensa por conta das constantes censuras. 

“Eu reflito com muita preocupação por que eu acho que quando a categoria dos jornalistas e principalmente quando a figura humana do jornalista é atacada, seja por censura ou dificuldade de inserção no mercado de trabalho, mostra que alguma coisa está errada na sociedade. Essas censuras recentes que estamos vivendo servem para que a gente possa refletir, mas não ficar parado”, comentou.

Já o palestrante, Domingos Meirelles, que também é presidente da Associação Brasileira de Imprensa, fez uma reflexão acerca do Dia do Jornalista.

“Ontem, me fizeram uma pergunta a qual me incomodou: se havia motivo para festejar esse dia. Eu disse que, enquanto houver vida, em uma redação, há motivo para uma celebração. Essa talvez seja uma das profissões mais fascinantes que existe, por que faz com que o profissional trate de diferentes assuntos, conheça diferentes pessoas, sem contar a função social a qual ele exerce, sendo o elo de comunicação entre a informação e o cidadão comum”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo